Pré & Pós Cirurgia Bariátrica

Papel do nutricionista na cirurgia bariátrica

A obesidade é uma doença crônica de causa multifatorial caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal. Esse acúmulo ocorre quando há uma oferta de calorias maior que o gasto de energia corporal e resultam frequentemente em sérios prejuízos à saúde física, psico-social e o bem estar.

O tratamento da obesidade é baseado em mudanças de estilo de vida, dentre elas modificações no hábito alimentar e atividade física, que preferencialmente devem estar associadas a controle emocional (psicoterapia) e quando indicado, uso de medicações. Quando falamos de indivíduos em indivíduos com obesidade grave e que já foram submetidos às opções de tratamento anteriores, sem sucesso, a cirurgia bariátrica é uma alternativa segura e eficaz tanto para perda quanto manutenção do peso perdido e controle das doenças associadas.

O tratamento cirúrgico da obesidade é indicado para pacientes com Índice de Massa Corporal (IMC) >  40kg/m² que tenham apresentado insucesso com tratamento clínico prévio ou para pacientes com  IMC > 35kg/m² também com falha no tratamento clínico e com comorbidades como diabetes, hipertensão, dislipidemia, alterações ortopédicas.

Apesar de a cirurgia bariátrica ser o método mais eficaz para perda de peso, o sucesso do procedimento depende também da disciplina e do comprometimento do paciente. O candidato à cirurgia deve consultar com profissionais de saúde de uma equipe multidisciplinar bem orientada, para avaliação e orientação adequada a cada fase de cirurgia. Bem como a sua participação, a qual fará a diferença nesta nova etapa de sua vida.

O laudo de um nutricionista é exigido para a liberação do paciente para realizar a cirurgia bariátrica, mas o papel do nutricionista na cirurgia bariátrica vai muito mais além do que a emissão deste laudo. O nutricionista será o profissional que irá orientar sobre todas as implicações nutricionais que o paciente deverá se submeter para ter uma vida saudável após a cirurgia, garantindo o sucesso do procedimento, evitando a desnutrição após a cirurgia e evitando também o reganho de peso.

No período pré-operatório, é importante orientar e conscientizar o paciente em relação à evolução da alimentação após a cirurgia e estar ciente da necessidade de mudar seus hábitos alimentares.  A alimentação do pós-operatório imediato deve ser adequada para favorecer a cicatrização da cirurgia e também na recuperação do paciente. Após este primeiro momento visa emagrecimento e preservação de massa magra.

Recomendações importantes:

  • Orientar o paciente desde o inicio da evolução da dieta a necessidade de mastigação adequada
  • Atenção a episódios de entalos e vômitos
  • Orientar o paciente a evitar alimentos calóricos como Milk-shakes, refrigerantes e alimentos indigestos como doces, alimentos gordurosos e frituras.
  • Fracionar alimentação (3 refeições maiores, intercaladas por lanches de preferência na consistência líquida)
  • Evitar líquidos com refeições