Obesidade

Obesidade 

Uma das causas da Síndrome Metabólica é a obesidade uma doença que vem crescendo muito no nosso país, atingindo tanto a população adulta como crianças e adolescentes.

A obesidade é caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal, associadas a problemas de saúde.

Um dos diagnósticos de obesidade é feito através do IMC (índice de massa corporal) que é encontrado quando dividimos o peso pela altura (em metros) elevada ao quadrado. Quando o IMC é igual ou maior que 30 kg/m² o indivíduo está obeso. Porém não podemos levar em conta somente o IMC como diagnóstico para obesidade. Muitas vezes o IMC encontra-se um pouco elevado e a pessoa não está obesa e nem com sobrepeso. Isso ocorre quando o indivíduo tem bastante músculo que chamamos de massa magra e para descobrir isso precisamos analisar o % de gordura corporal. Ou seja, além do IMC é importante também analisar a % de gordura corporal para determinar sobrepeso ou mesmo obesidade.

A obesidade é o resultado de diversas dessas interações, nas quais chamam a atenção os aspectos genéticos, ambientais e comportamentais. Assim, filhos com ambos os pais obesos apresentam alto risco de obesidade. Independente da importância dessas diversas causas, o ganho de peso está sempre associado a um aumento da ingestão alimentar e a uma redução do gasto energético correspondente a essa ingestão, ou seja, pessoa come mais do que gasta.

Sendo assim a nutrição tem como objetivo evitar ou corrigir fatores de risco cardiovascular como dislipidemias, hipertensão arterial, hiperglicemia entre outras doenças causadas pela obesidade.

Orientações:

Dar preferência para:

Pães, biscoitos e cereais integrais;

Verduras e legumes (alface, espinafre, agrião, rúcula, tomate, cenoura, brócolis, couve…).

Frutas principalmente aquelas com maior teor de água (melancia, melão, abacaxi, kiwi, laranja, tangerina, lima).

Leite/ iogurte desnatados e queijos magros (ricota, minas frescal, cottage, requeijão light, polenguinho light, cream cheese light).

Frango sem pele, peru, peixes magros (badejo, namorado, congro rosa, merluza, linguado).

Ovos cozido, pochê ou mexido.

Arroz integral ao invés do arroz branco diariamente

Massas com molho de tomate ao invés de queijos cremosos e molhos brancos.

8 a 10 copos de 200 ml de água/dia

Iniciar as refeições com saladas.

Mastigar devagar

Fracionar as refeições em 5 a 6x, reduzindo a quantidade.

Controlar a quantidade de óleo usado nas preparações e preferir alimentos cozidos, assados e grelhados.                                          .

 EVITAR:

Jejuns prolongados, pular as refeições.

Substituir as principais refeições por lanches rápidos.

Cozinhar com fome ou comer em frente à televisão

Cereais industrializados e refinados (arroz, pão, biscoito preparado com farinha de trigo branca).

Biscoitos recheados, massas com molhos cremosos, bombons, pizzas, salgadinhos, refrigerantes, açúcar, rapadura, melado, frituras, empadões, tortas salgadas, embutidos e enlatados, carnes com gordura aparente, peles de aves.

Leite/ iogurtes integrais, queijos gordurosos (parmesão, prato, provolone, brie, mussarela), creme de leite e manteigas.

Bolos com muita gordura ou cremes.

Bebidas alcoólicas.

Dietas milagrosas.